sexta-feira, 6 de abril de 2012

Se entregando ...



Ela despertou naquela manha, escutando os sons do dia que começava a nascer.
O sol começava a nascer, as pessoas a levantar e se dirigirem a diversos locais.
Ela se espreguiçou, sentindo um arrepio dentro do corpo.
Tinha chegado o dia. O dia que encontraria a pessoa que vinha lhe guiando, lhe ensinando, lhe despertando os mais diversos desejos e vontades.
Um sorriso brotou em seus labios, ao lembrar da voz que com um comando lhe deixava tremula, molhada, desejando sempre mais.
Levantou-se e se diregiu ao banheiro, e ao contato da agua na pele sentiu-se contrair.
Como era gostosa a sensação da agua no corpo, sua mão vagava pelo corpo, que tinha deixado como Ele gostava.
Ao sair do banho, ficou olhando sua roupa, ou melhor, o que havia sido pedido para ela vestir.
Um vestido, espartilho, as meias 7/8 e sapatos de salto alto.
Fechou os olhos por um momento imaginando Ele ali, observando ela, sabendo bem o que ia no intimo dela.
Escolheu um perfume suave, passou um delicado creme pelo corpo e enquanto se vestia, sentia a roupa deslizar pelo corpo, como lhe despertando mais ainda os sentidos.
Penteou seus cabelos, deixando soltos.

Ao sair, notou o clima agradavel, o calor do sol, tomada de anciedade e nervosismo, lembrando como tinha sido sua caminhada ate ali, lembrando das conversas, brincadeiras, revelações, trocas de segredos, acertos e erros. Percebeu que se sentia como uma criança prestes a ganhar um brinquedo novo.

Memorizando como seria o trajeto: pegaria o trem, mandaria mensagem dizendo que já estava a caminho, Ele lhe ligaria, diria onde deveria descer e espera-lo.

Tentava manter as emoções sob controle, segurando as mãos para não serem notadas como estavam tremendo.
Quando o trem parou, entrou e sentou-se a janela, sentindo o sol lhe aquecer o corpo.
Pegando o celular, mandou a mensagem dizendo que já tinha pegado o trem. Não tardou o telefone tocou. Escutou Ele lhe dizer onde deveria descer e onde espera-lo e desligando o telefone, nem percebeu que fechava a mão fortemente, marcando a palma de sua mão com as unhas.
Olhou elas, lembrando que Ele pedira unhas cuidadas e bem feitas, em tom vermelho.

Quando desceu na estação combinada, sentiu as mãos geladas, as pernas moles, e a convicção de que o destino conspirou a seu favor nas suas escolhas.
Subindo as escadas lentamente, notou que chegou antes Dele e para tentar se distrair, ficou a ver o movimente de entra e sai das pessoas na estação, caminhando e olhando os detalhes, imagens e fisionomias das pessoas.

Quando olhou novamente para a saida da estação, la estava Ele, um meio sorriso se insinuando em seus labios.
Respirando fundo, caminhou ate o Seu encontro, esperando que o modo de olhar para Ele estivesse correto, nem olhando direto, nem muito baixo, mas o suficiente para ve-lo e notar suas expressões.

Conversaram um pouco, e a convidou a caminharem um pouco.
O que deu ate um certo alivio a ela, pois parecia que , mesmo depois de muitas conversas, as palavras estavam entaladas em sua garganta.

Sairam para fora da estação, conversando, sentindo o corpo relaxar, e ao mesmo tempo desejando saber o que Ele pensava.
E assim foi sendo guiada ate o local onde, finalmente ela se tornaria Dele...

Quando a porta foi fechada, ela finalmente olhou direto nos olhos Dele, buscando as certezas das suas escolhas.
Ele chegou perto dela com um sorriso nos labios, tocou seu rosto e a beijou, e ela retribuiu na mesma intensidade, ansiando por mais e mais. Ele a encostou na parede, mandou que fechasse os olhos e levantado seu vestido, começou a toca-la, sentindo como ela estava molhada, sua mão passeava até suas bunda, aonde com força bateu, uma, duas, três vezes e voltando a toca-la, dessa vez colocando um dedo, e outro e mais outro, 
Ela fazia movimentos conforme seus dedos entravam e saiam de dentro dela. Ela sentia a respiração Dele, perto do seu pescoço, e parecia escutar os batimentos dele.
Quando Ele retirou a mão, se sentiu vazia, então ouviu ele falar: " Venha mostrar para o seu Dono o quanto deseja Ele. "
E assim dizendo ela se ajoelhou-se diante Dele, e com desejo e fome começou a chupa-lo e sugar. Escutou sua respiração se alterando e desejou mais do que nunca dar tudo o que Ele desejava.
Ele a segurou pelo cabelo e olhou bem o rosto dela, um brilho de satisfaçao reluzia em seu olhar.
Mandou-a subir na cama, de quatro, como cadela que ela era.
Quando ela ficou na posição, sentiu novamente os estalos da mão com mais força.
Ouviu Ele se movimentar e sentiu Ele entrando nela, que se abriu como uma flor para Ele.

Seus movimentos eram ritmicos, fortes, ela sentia suas mãos como garras em seus quadris, adorando a sensação, acompnhando seus movimentos, mais e mais rapidos.
Derepente Ele parou, e ela respirou fundo, pensando que algo estava errado, quando viu Ele dar a volta na cama e pegar a vela que ela tinha trazido, nem tinha notado que estava acessa.
Ele mandou ela deitar e tirar o vestido e ficar somente com o espartilho.
Com calma ela tirou e se deitou. Quando Ele viu que ela estava pronto, inclinou a vela e começou a pingar em sua bunda e nas coxas, notou seu corpo estremecer. Escutava sua respiraçao entrecortada e o arfar dela quando a parafina caia em sua pele.

Quando viu que estava com uma boa quantidade pegou o chicote.
E perguntou: "Quem é o seu Dono cadela? "
E o chicote estalou na pele dela.

" O Sr é o meu Dono."

Outra chicotada.

" A quem você pertence? "

" Eu pertenço ao Sr Meu Dono."

Dessa vez varias chicotadas foram dadas em sua bunda, e um tom de vermelho lindo foi surgindo em sua pele.

Quando ele cessou se posicionou no outro lado da cama e disse: " Venha cadela, venha dar prazer ao seu Dono. " Ela atravesou a cama engatinhando ate alcança-lo.
E chupou com vontade, sentindo seu corpo estremecer pelas chicotadas recebidas, pelo desejo, pelo prazer de estar dando prazer a Ele.
Ele começou a se movimentar na sua boca, e ela o chupou mais rapido.
Quando escutou um gemido, sentiu em sua boca o gosto da essencia dele, chupando e engolindo tudo.

Ele se afastou um pouco e ela levantou a cabeça e o olhou.
Tinha a testa suada e um sorriso nos labios e isso a fez sorrir.
Ele passou a mão no rosto dela e a beijou, aquilo a deixou surpresa.

Quando Ele a olhou nos olhos, viu tudo o que procurava e precisava.

" Agora você é minha. Você me pertence. "

Dizendo isso colocou sua coleira no pescoço dela.

Um comentário:

{princess kitty}龍戦士 disse...

Oi querida!!!

Que texto lindo!!! nâo sei se é real ou um conto, mas senti muita emoção nele e desejo que você seja MUITO feliz!!!

Miaubeijos sabor chocolate com muito carinho =^.^=